OMBRO

icone-ombro.png

OMBRO

 
LESÕES NO OMBRO >>>
OMBRO.jpg

Na maioria dos casos as lesões que atingem o nosso ombro afetam os músculos, ligamentos e tendões e, raramente, os ossos. 

Devido a prática de esportes e algumas atividades do dia a dia, o ombro tornou-se um local frequente de processos inflamatórios e dor. Os incômodos podem ocorrer devido a alterações como tendinite, luxações, inflamação dos tendões e outras alterações. 

Os exercícios para fortalecimento da musculatura dos ombros são essenciais para evitar lesões e melhorar a estabilidade articular da região. 


Existe uma área que inclui quatro músculos, chamada manguito rotador e que interfere diretamente na saúde dos nossos ombros, sendo responsável pela movimentação dos braços.

 

LESÃO NO OMBRO: RUPTURA DO MANGUITO ROTADOR

O manguito rotador compreende um grupo de quatro músculos-tendões que envolvem a região do ombro. Tem como função estabilizar o úmero, o maior osso da parte superior do nosso corpo, que liga o ombro ao cotovelo.

A musculatura também equilibra os movimentos do ombro, envolvendo as regiões superior, posterior e anterior a articulação. A ruptura do manguito rotador pode desencadear a perda da função do ombro em diferentes graus, entre eles estão inflamações e tendinite, que são consideradas mais leves, e rupturas parciais ou totais dos tendões, consideradas graves.

 

Os sintomas vão depender do estágio da lesão, mas em geral estão: dor e redução da força durante a elevação do braço; desconforto ao tirar o sutiã ou pegar algo no bolso traseiro da calça; acordar com dor no ombro durante a noite; limitação da mobilidade e perda de força e redução de movimento.

Para o diagnóstico é necessária a realização de consulta com o especialista, associada a exames físico e de imagem. 

 

O tratamento indicado pode ser conservador ou cirúrgico. A escolha do método é feita principalmente devido a gravidade da lesão, idade do paciente, intensidade da dor e perda de função. 

Geralmente a cirurgia é indicada quando o tratamento clínico não é eficaz.

 

A artroscopia do ombro é a técnica mais utilizada. 

 

LESÃO NO OMBRO: TENDINITE NO OMBRO

A tendinite no ombro é uma inflamação ou lesão no tendão - uma fibra que tem como função unir o músculo ao osso e promove estabilidade para a articulação.  No ombro, os tendões mais susceptíveis a inflamação são os do manguito rotador (redondo menor, supraespinal, infraespinal e supraespinal) e o tendão da cabeça longa do bíceps. 

 

Entre os principais sintomas estão dor  intensa, dificuldade de mobilização, sensibilidade e inchaço. O ombro é uma das regiões do corpo mais afetadas. 

 

É mais comum em esportistas, principalmente praticantes de musculação, tênis, natação, basquete, crossfit, vôlei e handebol. 

 

Para diagnóstico é necessário consulta com ortopedista, associado a exames clínico e de imagem, como radiografia ou ressonância magnética. 

 

O tratamento pode ser realizado de forma conservadora ou cirúrgica, dependendo do grau da lesão, idade do paciente e necessidade de esforço da articulação. 

 

Tratamento conservador - geralmente é indicado o uso de medicamentos associado ao repouso e fisioterapia. 

 

Tratamento cirúrgico - é necessário em casos em que não há resposta ao tratamento clínico ou em casos com risco de ruptura do tendão.

 

LESÃO NO OMBRO: LUXAÇÃO NO OMBRO

A luxação do ombro ocorre quando o úmero (osso do braço) se desloca. A região tem baixa contenção óssea, o que faz com que a articulação dependa da musculatura, tendões e ligamentos da região para manter-se no lugar. Quando ocorre uma luxação todas essas estruturas podem ser afetadas, facilitando a ocorrência de novos deslocamentos. 


Entre os sintomas estão dor intensa e redução de mobilidade. 
 

Podem ocorrer luxações em duas situações:


- Traumas: quando uma força externa leva ao rompimento das estruturas que mantém o ombro no lugar. Geralmente afeta apenas um dos ombros. 
- Automática: é gerada pela frouxidão nos ligamentos e normalmente atinge os dois ombros. 

O diagnóstico é feito em consulta médica com exame físico associado à exames de imagem que podem apontar o deslocamento do ombro e possíveis lesões associadas. 

O tratamento indicado pode ser clínico ou cirúrgico, dependendo do grau da lesão, lesões associadas, idade do paciente e práticas esportivas. 

No tratamento clínico é feito uma manobra específica para que o ombro seja realocado, é indicado o uso de medicamento, repouso da articulação e a posterior reabilitação com fisioterapia. 

As cirurgias geralmente são indicadas em casos em que há risco de lesões recorrentes ou quando o paciente apresenta lesões secundárias. Pacientes jovens e esportistas são os principais candidatos à operação. O cirurgião pode optar por uma série de técnicas cirúrgicas, dependendo do caso, a mais utilizada é a artroscopia do ombro. 

 

LESÃO NO OMBRO: TENDINITE CALCÁRIA

A tendinite calcária é um tipo de tendinite em que ocorre a calcificação no tendão. É mais comum em mulheres a partir dos 40 anos de idade. 

 

Atinge principalmente o tendão supraespinal, seguido pelo infraespinal.

Ainda não se sabe qual é a causa da doença, mas pode acontecer uma tendinite prévia com uma redução provisória da irrigação sanguínea do tendão afetado. 

Entre os sintomas estão dor ou desconforto leve, com súbitos casos de dor intensa. 

Para o diagnóstico é necessário consulta médica com exame físico e exames de imagem, como a radiografia ou ressonância magnética. 

 

O tratamento pode ser realizado de forma clínica ou cirúrgica, de acordo com a fase de calcificação do tendão. No tratamento clínico são indicados medicamentos e repouso, com a opção da realização de algumas infiltrações no ombro, ou seja, injeções de anestésicos e corticóide para alívio mais rápido da dor. 

 

Em alguns casos a cirurgia pode ser necessária para realizar a retirada da calcificação do tendão. A técnica mais utilizada é a artroscopia e a reabilitação pode levar até quatro meses.

 

DOENÇAS DEGENERATIVAS:

ARTROSE ACROMIOCLAVICULAR

Trata-se da degeneração de uma articulação do ombro, com perda de cartilagem no local. O desgaste é muito comum e acontece mais rápido do que em outras articulações, além disso, são identificados casos em  pacientes jovens (40 anos de idade), principalmente em esportistas, praticantes de natação ou tênis. 

Entre os sintomas estão dor no topo do ombro, que pode irradiar para o trapézio, rigidez e inchaço. Em casos graves pode ocorrer a redução da mobilidade dos braços. 

O diagnóstico é feito em consulta com especialista, associada à exames físicos e de imagem. 

O tratamento conservador é eficaz na maioria dos casos, com o uso de medicamentos e fisioterapia. Quando o paciente não responde ao tratamento clínico a cirurgia pode ser indicada, a artroscopia é uma das principais técnicas utilizadas nesses casos.

 

TRATAMENTOS:

ARTROSCOPIA

A Artroscopia de ombro é um procedimento minimamente invasivo realizado para visualizar e/ou tratar as estruturas de uma articulação da região. É realizada com um equipamento de vídeo e instrumentos endoscópicos específicos para os ombros.

 

Geralmente a cirurgia da artroscopia de ombro é indicada quando o paciente não apresenta melhora com o tratamento medicamentoso ou fisioterapia.

Pode ser recomendada para o tratamento de luxação do ombro, lesão no manguito rotador (um grupo de quatro unidades músculo-tendão que envolvem as articulações do ombro), síndrome de impacto, artrites, osteoartrose, lesão labral e luxação Acromioclavicular (articulação da parte superior do ombro), entre outros.

Por ser um procedimento minimamente invasivo, a artroscopia tem como benefício para o paciente a recuperação cirúrgica mais rápida e menor dor no pós-operatório.

O tempo de repouso indicado vai depender do tamanho e da localização da lesão tratada, além da idade do paciente. Normalmente a fisioterapia é indicada. Sempre questione o seu médico sobre as recomendações pós-operatórias.